EXPLOSÃO DE CALDEIRA – SERTÃO DA PARAÍBA

Uma caldeira da empresa Vó Ita Frios, localizada em uma fazenda, no município de Sousa, Sertão da Paraíba, explodiu, na manhã da última segunda-feira (06), e deixou pelo menos 13 pessoas feridas; algumas delas em estado grave.

As primeiras informações davam conta que três óbitos já teriam sido registrados, mas apenas dois foram confirmados até agora. A unidade de saúde informou apenas que duas pessoas estavam em estado gravíssimo e a condição de saúde do restante não podia ser repassada.

Várias ambulâncias do SAMU e viaturas do Corpo de Bombeiros socorreram as vítimas e as encaminharam para o Hospital Regional de Sousa.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, um vazamento de óleo pode ter causado a explosão.

Uma perícia foi realizada na manhã ontem (7) para apontar os responsáveis pela explosão da Caldeira.

Segundo os funcionários, cerca de 30 trabalhadores estavam no local na hora do acidente. Os que estavam mais próximos foram atingidos com a água que estava fervendo e com os destroços do prédio, que acabou desmoronando.

Um funcionário da empresa declarou em entrevista à TV Paraíba que a caldeira já vinha apresentando defeitos há algum tempo.

O advogado da empresa, Johnson Braga, informou que as vítimas e seus familiares estão recebendo assistência. “No momento [a empresa] está apenas cuidando das vítimas, está dando todo auxílio, solicitou helicóptero, avião, o que precisar para atender as vítimas. Posteriormente, o que as autoridades competentes requererem da empresa, nós vamos entregar qualquer pedido”, informou.

Fonte: http://www.ineconbrasil.com.br/blog/explosao-em-souza

Grupo protesta por segurança após mortes em terminal da Petrobras.

Espírito Santo – Após a morte de dois trabalhadores, cerca de 100 pessoas protestaram por segurança, na manhã desta quarta-feira (8), na porta do Terminal Aquaviário de Barra do Riacho (TABR), no Litoral da Aracruz, no Norte do Espírito Santo.

As vítimas eram Alex Ribeiro, 39 anos, e Oseias Damasceno, 27, funcionários da Espiral Engenharia que presta serviço para a Petrobras.

O Sindicato dos Petroleiros do Espírito Santo (Sindipetro-ES) disse que os dois faziam a montagem de um andaime sobre o mar quando o concreto cedeu e o andaime foi parar dentro da água, levando junto os trabalhadores, que estavam presos à estrutura pelo cinto de segurança.

A Petrobras foi procurada pelo G1 e disse, nesta terça-feira, que lamenta os falecimentos dos funcionários da empresa terceirizada. Uma comissão interna foi instaurada e está investigando as causas do acidente. A empresa disse, em nota, que a “Transpetro está prestando toda a assistência necessária à empresa terceirizada”.

Manifestação
A protesto foi pacífico e os participantes, entre servidores e trabalhadores,  ficaram parados em frente ao Terminal Aquaviário de Barra do Riacho (TABR) desde às 7h.

O presidente do Sindipetro, Paulo Rony, disse que vai acompanhar as investigações sobre o acidente.

“As informações que a gente recebeu são precárias. A empresa vai montar uma comissão de acidentes com representantes da empresa e trabalhadores. Dentro dessa comissão a gente vai apurar de forma técnica e eficaz para ver o que realmente aconteceu para que não volte a acontecer nunca mais. Se for o caso, vamos acionar a polícia e o Ministério Público. Queremos mudar a cultura da empresa de colocar a poeira debaixo do tapete. Queremos uma investigação transparente”, disse Rony.

A Petrobras foi procurada para falar sobre a transparência nas investigações, mas ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Fonte: G1

Posts mais velhos «